.posts recentes

. "A VIDA" - poemas de dife...

. A Natureza - Os líquens

. VERDADES DITAS...

. O 11 de Setembro

. O MUNDO É BELO... aqui fi...

. MOMENTOS... em frases, im...

. É HOJE! A Abertura oficia...

. PARABÉNS AVÓS

. PORTO - DOIS LOCAIS A VIS...

. DIA DA TERRA - 22 de Abri...

.arquivos

. Abril 2013

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Abril 2012

. Janeiro 2012

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012

Tradições e costumes portugueses que devemos divulgar...

 MERCEARIA ANTIGA

 Foto: Fernando Peneiras

  

O lugar onde havia tudo, tudo o que precisávamos e ainda mais, com produtos da terra nacional, da nossa produção,ou então um simples bom dia alegre, um momento de desabafo, uma notícia fresquinha, uma ajuda num momento difícil ou um simples desabafo.

Um lugar sem cartões de débito ou promoções, mas sem ilusões, um lugar sem cheiros estranhos e músicas a condizer que fazem comprar o que as pessoas não necessitam, um lugar que hoje quase não existe mas que jamais deixará de existir no baú das nossas recordações.

Quem não se lembra da sua antiga mercearia?
(Fonte Aldeias de Portugal)

                             {#emotions_dlg.ice}{#emotions_dlg.ice}{#emotions_dlg.ice}{#emotions_dlg.ice}{#emotions_dlg.ice}

O belo fumeiro... em tempo do frio ao calor das lareiras transmontanas.

 

 

Foto: Raul Coelho

 

Frio nas Aldeias de Portugal?
E depois!?
Sem frio não teríamos estas maravilhas!
Em época de Feiras do Fumeiro por toda a Região de Trás-os-Montes, vale a pena deixar o "rebuliço" da cidade e provar o que de melhor se produz nas Aldeias de Portugal!

Bom apetite!
(Fonte Aldeias de Portugal)

                        {#emotions_dlg.ice}{#emotions_dlg.ice}{#emotions_dlg.ice}{#emotions_dlg.ice}{#emotions_dlg.ice}


publicado por SAMY às 20:06

link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2012

Conhecendo... viajando por Portugal e pelo Mundo...

GRUTAS DE MIRA D´AIRE

 

 

Também conhecida como Gruta de Moinhos Velhos localiza-se na freguesia portuguesa de Mira de Aire, pertencente ao concelho de Porto de Mós.

Constitui um dos mais importantes sistemas subterrâneos do Maciço Calcário Estremenho, apresentando uma extensão próxima de 9 km.

Caracteriza-se pela existência de dois colectores paragenéticos fósseis, de diâmetro aproximadamente decamétrico, com afluentes desenhando uma rede dendrítica e um conjunto de galerias semi-activas de traçado dendrítico a norte e angulado a sul. A zona fóssil tem um desnível de 100 metros e a espessura da zona intermédia varia entre 80 metros a montante e 60 metros a jusante, circulando a água por galerias singenéticas, do quadrante norte para o quadrante sul, em direcção à exsurgência da Gruta da Pena.

Podem definir-se quatro fases na evolução do sistema. A primeira é representada por galerias freáticas superficiais, de pequeno diâmetro, a segunda pelo colector paragenético da Galeria Gémea, a terceira pela Galeria Grande e seus afluentes e a última pelas galerias activas e semi-activas dos andares inferiores.

Na sequência da sua descoberta alguns dos primeiros exploradores resolveram formar em 1948, a Sociedade Portuguesa de Espeleologia, constituindo-se assim, a primeira associação portuguesa do género.

Foi classificada como imóvel turístico de interesse público em 1955 tendo aberto as suas portas ao público no início da década de 1970.

Nas galerias do sistema da gruta dos Moinhos Velhos vive um escaravelho cavernícola endémico, denominado Trechus lunai e as galerias aquáticas são habitadas por crustáceos estigóbios, dos quais o mais abundante é o Proasellus lusitanicus.

Historial da Gruta
1947 - Os primeiros homens a entrar na gruta lançaram cordas grossas e, a pulso, desceram até uma pequena galeria. Avançando duas dezenas de metros, encontraram-se como que numa janela aberta sobre um precipício. O que existia em frente, a fraca luz do gasómetro não permitia ver com clareza. Algo como uma grande sala envolta na mais completa escuridão, fazia ecoar as suas vozes e o barulho das pedras que atiravam.

Alguns dias depois, voltaram com mais cordas e desceram à primeira sala onde a sua imensidão mal deixava perceber as paredes e estalactites que pendiam do tecto.

A notícia desta descoberta que não tinha paralelo em nada conhecido na região chegou até Lisboa donde acorreram espeleólogos que preparavam a formação de uma Sociedade Científica para o estudo das Grutas. Mira de Aire passou a acolher um grande número de espeleólogos e com eles conviveu. Muitos puderam visitar a nova gruta descoberta e as fotografias das expedições espalharam-se por toda a terra.

Através da exploração do fundo da sala e de algumas reentrâncias nas paredes, descobriu-se o segredo para a continuação da gruta, uma abertura num patamar acessível apenas por uma estreita e escorregadia vereda ao longo da parede, baptizado de "Púlpito".

Para lá deste encontra-se uma rampa muito íngreme que dava lugar a um poço com cerca de 20 metros de profundidade, o 2º Poço.

1949 - A construção de um guincho de madeira que desenrolava uma corda de sisal com 30 metros permitiu aos espeleólogos vencerem este poço, sendo as descidas posteriores efectuadas através de escadas, primeiro com cabos de aço e degraus de madeira, e depois com degraus de latão.

Na base deste tinha inicio um percurso de mais de 500 metros, denominado "Galeria Grande" e com uma topografia e paisagem variada. Neste trajecto pode-se observar a "Fonte das Pérolas", as "Galerias do Polvo", o "Órgão", e o "Rio Negro" que dava acesso ao "Areal" no fundo da Galeria Grande.

Anos 50 e 60 - Campanhas mais prolongadas exigem a criação de acampamentos no interior da Gruta. Destes foi possível chegar até ao "Sifão das Areias", "Concha" e "Labirinto" até que foi descoberto o "Poço Final" podendo assim poder ser elaborado o primeiro levantamento  topográfico da Gruta.

O desejo de mostrar esta maravilha da natureza ao público começava a crescer e para que todos pudessem apreciá-la, foram projectados e construídos centenas de metros de estrados e escadas de madeira, desde a entrada, até perto do Sifão das areias.

Anos 70 - Com vista ao novo aproveitamento turístico da gruta, com melhores condições de conforto e segurança constitui-se a Sociedade que faz a sua exploração desde a Sala Grande até às partes principais da Galeria Grande. A abertura ao público faz-se a 11 de Agosto de 1974.

2007 - Uma expedição da Sociedade Portuguesa de Espeleologia entra na Galeria do Rio Negro, aproveitando a baixa do nível das águas, e consegue acrescentar mais de 1Km de novas galerias que se dirigem ao interior do Planalto de S. Mamede ao traçado total da Gruta.

Esta Gruta (Moinhos Velhos) juntamente com a Gruta da Pena e a Gruta da Contenda faz parte de um grande sistema de galerias com mais de 11 Km.

Durante os Invernos chuvosos, as águas deste sistema juntam-se às águas da nascente do Olho de Mira e Regatinho, inundando assim a grande depressão fechada (Polje Mira-Minde) existente entre as povoações de Mira de Aire e Minde.

Mira de Aire
Mira de Aire é uma freguesia portuguesa do concelho de Porto de Mós, com 16,77 km² de área e 3 951 habitantes (2001). Densidade: 235,6 hab/km².

Foi elevada a vila pelo decreto n.º 22 432, de 10 de Abril de 1933.

Até 1708 pertenceu a freguesia de Minde até que se desanexou. Mira de Aire aparece por vezes gravada como Mira d'Aire, por vezes é mesmo esta designação preferida dos mirenses. Os linguistas clássicos portugueses como Rebelo Gonçalves, no seu Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa (Coimbra, 1947) escrevem Mira de Aire. Rebelo Gonçalves dá este caso como uma combinação vocabular que apresenta a preposição de com e elidido e não pede apóstrofo.

José Pedro Machado, outro linguista reputado, prefere também Mira de Aire, mas é possível encontrar Mira d'Aire nas suas obras.

Apesar de pouco falada em relação à vizinha vila de Minde é provável que não existam pessoas que saibam algumas palavras de Calão Mirense em Mira d'Aire. O mesmo já não acontece em Minde onde grande parte da população fala o calão Minderico.

Nesta freguesia, cujo território é atravessado pela Serra de Aire e pela Serra dos Candeeiros, situa-se uma das grutas naturais mais espectaculares e mais bem preservadas de Portugal, a Gruta de Mira de Aire, também conhecida como Gruta dos Moinhos Velhos.

 

Por Aldeias de Portugal

 
{#emotions_dlg.boot}{#emotions_dlg.boot} 
Kien dá a volta ao mundo (e a Lagos) num vídeo de 5 minutos com 6237 fotos
Há novo vídeo-fenómeno na net a somar milhares de visualizações enquanto lê estas linhas e que até mostra uma atracção turística lusa. Kien Lam viajou pelo mundo durante quase um ano e lançou um vídeo que resume a viagem em menos de cinco minutos, coligindo sequências temporais em 6237 fotografias tiradas por 17 países, Portugal incluído: "Lagos foi um dos meus sítios preferidos de toda a viagem", confessou Lam à Fugas.

Speeding Around The World in Under 5 minutes Time Lapse
 
 
                    {#emotions_dlg.boot}{#emotions_dlg.boot}{#emotions_dlg.boot}{#emotions_dlg.boot}{#emotions_dlg.boot}{#emotions_dlg.boot}

publicado por SAMY às 19:46

link do post | comentar | favorito
|

Frustração... talvez!!!

 

 

Para Ti
Frustração

Foi bonito
O meu sonho de amor.
Floriram em redor
Todos os campos em pousio.
Um sol de Abril brilhou em pleno estio,
Lavado e promissor.
Só que não houve frutos
Dessa primavera.
A vida disse que era
Tarde demais.
E que as paixões tardias
São ironias
Dos deuses desleais.

Miguel Torga, in 'Diário XV'

 

 With or without you - U2

 

 

 

Tristeza

"Uma história triste agrada sempre. No seu sentido mais profundo, a vida é bela e alegre. Todos nós tivemos já a experiência disso milhares de vezes. Provas sobre provas de que não há primavera sem flores, nem outono sem frutos. Mas, apegados como estamos à aparência de tudo, esquecemos a voz do profundo, e ouvimos deliciados o som da superfície. Temos o vício da tristeza."

Miguel Torga
Fonte: - Diário (1946)Tema: - Tristeza

 

 The Impossible Dream(The Quest) - Sarah Connor

 

                    {#emotions_dlg.lua}{#emotions_dlg.unheart}{#emotions_dlg.lua}{#emotions_dlg.unheart}{#emotions_dlg.lua}{#emotions_dlg.unheart}{#emotions_dlg.lua}

 


publicado por SAMY às 00:14

link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 17 de Janeiro de 2012

Meu coração está triste...

 

Meu coração está triste
E sente-se bastante solitário
Resolveu que deve seguir
O seu destino sozinho
Pois não quer mais dividir
Suas emoções
Não quer mais estar com...
Pois, não consegue viver
Numa vida de subterfúgios
Nem trabalhar
Com momentos mendigados
Prefere antes estar só
Meu coração
Procura abrigo
Mas, não com certeza
Dessa forma
Quer ser livre
E poder amar e viver livremente
Não consegue viver
Num mundo
Onde reina a hipocrisia
O falso moralismo
É o que é
Chegou a hora de
Quabrarmos as correntes
E assumo
Basta de silêncio.

 

(Lília Trajano- INÉDITO)

 

 

 

                     {#emotions_dlg.rainbow}{#emotions_dlg.rainbow}{#emotions_dlg.rainbow}{#emotions_dlg.rainbow}{#emotions_dlg.rainbow}


publicado por SAMY às 19:38

link do post | comentar | favorito
|

Quando não se tem importância nenhuma...

 

 

Para Ti
O Vazio da Importância

Obrigada pelo fator importância que exerço na sua vida...
nem sempre sei retribuir isso.
Olhando de pertinho vejo a tua perfeição,que julgava não existir e que nunca conseguirei alcançar...Não sou perfeita... não quero ser!!!
Não existe mais dentro de mim a necessidade de me explicar, não vejo a importância abusada de explicar o inexplicável.
Dou tanta importância ao que não é importante que me esqueço da importância do que realmente é importante.
Porquê dar importância ao que realmente é uma insignificância?
Não consigo compreender o mundo, mas não tem muita importância- o mundo não me compreende também.
Ter razão não quer dizer ter importância perante os outros.

(EU-SAMY)

{#emotions_dlg.cry} DESABAFO...

Quantas vezes tu esperaste que alguém tivesse uma atitude numa determinada situação e te decepcionou porque a pessoa nada fez ou ainda, se fez, foi algo que estava longe do que esperavas? Todos nós sabemos que criar expectativas é o melhor caminho para a decepção, mas qual de nós não espera ser reconhecido, valorizado, não só por aquilo que faz mas, principalmente, por aquilo que é? Sim, nós mesmos devemos nos aprovar, reconhecer e aceitar, mas há relação sem troca?

 

O ser humano precisa de quatro condições básicas para viver: atenção, admiração/reconhecimento, afeto/amor e aceitação. Ao recebermos isso daqueles que nos são caros e, especialmente, da pessoa amada, muitas de nossas necessidades emocionais são satisfeitas, mas se não recebemos, a tendência é nos sentirmos sem valor algum e, assim, tudo fica vazio, sem sentido de existir.

Claro que não podemos nem devemos colocar nosso valor -enquanto pessoa- nas mãos de alguém, mas quem não espera um abraço num momento de dor? Uma mão estendida, quando perdido? Uma palavra amiga quando nos sentimos fracos? Um singelo e simples obrigado por tudo que se fez pelo outro? Qualquer necessidade que temos, sobretudo nossas necessidades emocionais, quando não supridas, geram insatisfação, decepção, e alguns conflitos internos que nem sempre percebemos. E quando isso ocorre é inevitável que nos sintamos desamparados e totalmente perdidos.

 

Mas quem poderá fazer isso por nós?

O que mais queremos é que a pessoa que amamos esteja ao nosso lado, incondicionalmente, que chegue o mais perto possível daquilo que esperamos e sentimos em nosso coração, e quase sempre, suas atitudes, ou a falta delas, se fazem tão distantes de nós e daquilo que necessitamos, e neste momento constatamos uma cruel realidade: estamos sós! Sós na dor, no sofrimento, na busca por uma saída ou um caminho menos doloroso. Queremos alguém que nos salve! Nos tire desse lamaçal de sofrimento. Muitos de nós pedimos e esperamos tão pouco, que até esse pouco algumas pessoas são incapazes de nos dar: um abraço, uma atenção, uma palavra, carinho, compreensão, apoio, exatamente num determinado momento que mais precisamos.
E ao nos sentirmos sozinhos, literalmente abandonados, entramos em desespero...

Muitas vezes esquecemos-nos que cada um só dá aquilo que tem. Será que adianta pedir, implorar por algo que não veio espontaneamente? Algumas pessoas dizem amar e nem sequer percebem o pedido de socorro daqueles que gritam por amor e atenção. E esse grito pode se transformar em diversas formas de amenizar uma dor... seja comendo, bebendo, dormindo, trabalhando excessivamente, enfim, tentando fugir do que tanto dói. Tudo para preencher um vazio que nada parece conseguir ocupar.

Será que a hora de reagir não é agora?

Reavalia se alguém merece todo o teu sofrimento, todas as tuas lágrimas, sem sequer se dar conta do quanto te faz sofrer.

O outro pode, se quiser, mudar, mas não podemos nos permitir sofrer tanto, dilacerar nossa alma por quem não percebe nosso real valor.

Olha bem dentro de ti e lembra-te de quantas situações difíceis já conseguiste superar. Essa mesma força ainda está dentro de ti! Busca-a, ainda que esteja muito escondida no meio de tanta dor. Encontra a tua força, a tua coragem, a determinação, a esperança e faz algo por ti, apenas e simplesmente por ti!

Aprende com tudo... no meio de tanta dor é possível sempre aprender e crescer! Considera a tua realidade e não as ilusões que criaste em função das tuas necessidades. Afinal, queres crescer, ser feliz ou queres continuar chorando e esperando por aquilo que está tão distante do que  desejas para a tua vida?

Só  tu poderás responder! Mas lembra-te de que a atenção e o amor por ti mesmo(a) só dependem de ti!

(Texto adaptado por mim)

                      {#emotions_dlg.sol}{#emotions_dlg.sol}{#emotions_dlg.sol}{#emotions_dlg.sol}{#emotions_dlg.sol}

 


publicado por SAMY às 17:31

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2012

AMOR é...

 

 

 

 

 CELINE DION - MY LOVE

 

 

                     {#emotions_dlg.inlove}{#emotions_dlg.inlove}{#emotions_dlg.inlove}{#emotions_dlg.inlove}{#emotions_dlg.inlove}

 


publicado por SAMY às 21:13

link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 15 de Janeiro de 2012

AMOR MAIOR...

 

 SERÁ QUE VALE A PENA AMAR ASSIM??

 

 

 

 

 

 

Canção do Sonho Acabado

Já tive a rosa do amor
- rubra rosa, sem pudor.
Cobicei, cheirei, colhi.
Mas ela despetalou
E outra igual, nunca mais vi.
Já vivi mil aventuras,
Me embriaguei de alegria!
Mas os risos da ventura,
No limiar da loucura,
Se tornaram fantasia...
Já almejei felicidade,
Mãos dadas, fraternidade,
Um ideal sem fronteiras
- utopia! Voou ligeira,
Nas asas da liberdade.
Desejei viver. Demais!
Segurar a juventude,
Prender o tempo na mão,
Plantar o lírio da paz!
Mas nem mesmo isto eu pude:
Tentei, porém nada fiz...
Muito, da vida, eu já quis.
Já quis... mas não quero mais...

(Cecília Meireles)

 

VALORIZAR...

 

 coisasmil

 

PARA QUE UM DIA ELAS SE TORNEM GRANDES...

 

 ... E OS SONHOS SE TORNEM REAIS!!!

 

 

 DETALHES-ROBERTO CARLOS

 

 

 PARA TI, que muito gosto...

 

 

Hoje o meu coração está distante.
Envio o meu espírito ao seu encontro,
Para envolvê-lo com a ternura de um abraço,
E trazê-lo novamente a mim.

(Aluísio Cavalcante Jr.)

 

 

                                {#emotions_dlg.heart}{#emotions_dlg.heart}{#emotions_dlg.heart}{#emotions_dlg.heart}{#emotions_dlg.heart}


publicado por SAMY às 17:34

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.favorito

. Estado de espírito

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds